O Primeiro Último Beijo - Ali Harris

Livro: O Primeiro Último Beijo
Autor (a): Ali Harris
Editora: Verus
Ano: 2016

"O primeiro último beijo conta a história de amor de Ryan e Molly, de como eles se encontraram e se perderam diversas vezes ao longo do caminho. Na primeira vez em que eles se beijaram, Molly soube que ficariam juntos para sempre. Seis anos e muitos beijos depois, ela está casada com o homem que ama. Mas hoje Molly percebe quantos beijos desperdiçou, porque o futuro lhes reserva algo que nenhum dos dois poderiam prever…Esta história comovente, bem-humorada e profundamente tocante mostra que o amor pode ser enlouquecedor e frustrante, mas também sublime."

*Resenha originalmente publicada no blog Livros e Chocolate Quente.

Após terminar a leitura desse livro, fiquei semanas refletindo sobre ele e sem pensar em mais nada nos dias seguintes. Foi aquele livro que me deixou com ressaca literária e ao longo da resenha vou tentar explicar o motivo.

O Primeiro Último Beijo conta a história de amor entre Ryan e Molly, um casal que se encontrou diversas vezes ao longo dos anos. Os dois estudavam juntos e nunca foram melhores amigos, mas a vida deles parecia interligada de alguma forma, motivo que os uniu pela primeira vez e depois disso eles nunca mais se separaram.

"Você pode me fazer um favor? Quebre uma regra hoje, enlouqueça, viva o momento. Abra seu coração. Depois, abra mais um pouco. Ame muito,, ame mais ainda. Não tenha medo de se expressar, de gritar, de ser ouvido. Diga EU TE AMO. Aposte todas as fichas. Aposte todas as fichas no amor. Por mim. Porque eu não fiz isso. E agora não posso. mais."

Esse livro conta a história de um casal e todas as suas peculiaridades, mas faz isso de uma forma não-linear. Ao longo do livro é possível conhecer pedaços da história do Ryan e da Molly, sendo que o leitor se situa apenas pelo ano em que aquele trecho está passando. Esse envolvimento aos poucos vai ficando mais importante e fiquei sem chão com a evolução do romance.

Ryan era o jogador do colégio, com uma beleza incrível e uma simpatia que conquistava amigos e garotas. Ele sempre amou viver em Leigh, uma pequena cidade na Inglaterra, local onde nasceu e onde vive sua família. Foi ali que ele estudou, viu seus sonhos ruírem e o local onde conheceu Molly, a garota mais importante da sua vida. Esse personagem me encantou demais, principalmente com sua forma despreocupada e otimista de ver a vida.

Molly sempre foi uma aventureira e sonhadora, mas nunca imaginou que se ligaria tão nova a um cara, ainda mais porque sempre achou que não seria do tipo que se envolve com alguém como Ryan Cooper. Ela sempre o amou, mesmo quando não sabia disso ainda. Foi difícil gostar dessa personagem porque ela teve atitudes que me incomodaram, ainda mais porque foram contra minha convicção do que é o amor. Ela sempre quis viajar o mundo e crescer profissionalmente, mas a vida a levou por caminhos que não foram os que ela sonhou e por causa disso, ela lamentava muito e isso foi o que me irritou. É muito fácil culpar a vida pela perda dos nossos sonhos, mas não temos coragem de correr atrás do que realmente desejamos.

Não quero me aprofundar muito na sinopse, pois espero que vocês tenham a mesma experiência que eu tive com a leitura. Não gosto de comparar livros porque isso sempre causa interpretações errôneas, mas o desenvolvimento dessa história é bastante parecido com Um Dia do David Nicholls. A diferença é que nesse livro, em cada capítulo somos inseridos em um ano específico do casal, que pode ser 1994 ou 2007, por exemplo, ou seja, não é algo progressivo a cada ano, como já vi em algumas histórias com esse tipo de proposta. No início é um pouco confuso entender o andamento da narrativa, mas depois fica mais fácil compreender e apreciar.

Essa história me fez pensar em tantas coisas, mas principalmente me fez ver a importância do momento com a pessoa que você ama. Como é importante apreciarmos nossos pequenos momentos, ao invés de ficar reclamando o tempo todo. Além disso, toda a história gira em torno dos beijos que damos na vida e como eles podem ter vários significados para as pessoas. Já repararam como nossos beijos ficam mais tímidos quando casamos ou namoramos por muito tempo? Claro que tem exceções, mas temos a mania de reduzir os momentos de carinho ao longo dos anos, como se o parceiro não precisasse daquele tipo de afeição.

"Nós nos beijamos para cumprimentar, para evitar silêncios, para demostrar saudade, para mostrar que estamos contentes de ver a pessoa. Nós nos beijamos para interromper brigas ou uma conversa que não queremos continuar. Também usamos o beijo quando queremos fingir que está tudo bem. Tenho feito muito isso ultimamente. Mas acontece que algumas coisas simplesmente não saem com um beijo."

A escrita da Ali Harris é envolvente, emocionante e repleta de simbolismos. Ela criou vários parágrafos impactantes e uma só resenha não caberia a quantidade de quotes que eu separei ao longo do livro. Me apaixonei pela forma que ela estruturou o romance sem ser clichê ou redundante. Ao longo dos anos um casal passa por muitas coisas e foi exatamente essa sensação que a autora conseguiu transmitir.

Um romance não precisa de muitos elementos para me conquistar, mas um casal interessante e uma boa escrita são essenciais. Essa história tem uma delicadeza impressionante, assim como pontos de reflexão, tristeza e inspiração. Somos tendenciosos e complicamos o amor, mas é a simplicidade que dignifica esse sentimento que envolve o coração das pessoas. Em um relacionamento, é preciso aprender a doar e ceder, algo difícil de ser feito e pouco praticado.

Essa leitura me ensinou lições valiosas que passei a praticar no meu próprio casamento. Alguns pontos me entristeceram, mas no geral o que ficou foi a certeza de que amar alguém é a melhor sensação do mundo.

Mesmo com uma trama densa e extremamente triste, foi uma leitura rápida porque eu me senti inebriada por cada ponto da história e não conseguia parar de ler. A única ressalva são alguns pontos mais complexos e que exigem mais foco do leitor.

"Queria não ter tentado viver a vida riscando itens de uma lista de coisas a fazer, mas ter apenas focado o presente. Talvez assim estivesse mais preparada para as coisas da vida adulta que vieram muito antes do que eu esperava. Sei que não devemos nos arrepender de nada, mas esse é meu arrependimento."

Estou com medo de não ter conseguido explicar para vocês o quão boa foi a leitura, mas espero que tenham entendido que esse livro vale muito a pena. Até hoje ainda me pego relendo alguns trechos que mais gostei.

O Primeiro Último Beijo é uma tocante narrativa sobre o crescimento de um casal. Nunca sabemos o que a vida nos reserva e nosso papel é aprender a seguir conforme nossas convicções, crenças e certezas. Eu só sei que amar alguém não é fácil, conviver é complicado e ser feliz é consequência. Seja aquilo que você espera do seu parceiro. Vamos reclamar menos e agir mais!

"Todo mundo precisa de amor e do apoio dos outros, mas precisamos encontrar isso dentro de nós mesmos primeiro. Somos todos mais fortes do que acreditamos ser. Podemos aguentar mais do que pensamos. Podemos sobreviver ao pior e, de alguma forma, ainda encontrar um jeito de sorrir."

Beijos!

Nenhum comentário

Postar um comentário

Obrigada pela visita!
Todos os comentários deixados aqui serão carinhosamente retribuídos.
Para isso, basta deixar o endereço do seu blog!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Siga-nos no Networked

Siga-me no BlogLovin

Follow on Bloglovin